Travessia

Intervenção Urbana, 2011

_MG_9159 copy.jpg
_MG_9159 copy.jpg
press to zoom
press to zoom
_MG_9151 copy.jpg
_MG_9151 copy.jpg
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

VIAJAR             COMPOR              DANÇAR              ENCOSTAR

 

Travessia foi uma Ação realizada partindo do poema Viagem de Orides Fontela. Quatro mulheres com vestidos floridos subiram no ônibus, Linha 11- Orquídea, cada uma em um ponto. Quatro corpos abertos para qualquer outro corpo que quisesse pulsar aquele instante de poesia. Escritas pelo corpo e pela janela, “Viajar mas sem onde, Viajar mas não para, Viajar mas nem sequer sonhar-se esta viagem”. Uma interlocução sutil foi estabelecida com as pessoas que compartilhavam da mesma viagem, travessia. Mão sobre mão, cabeça sobre ombro, troca de olhares, pequenos diálogos “Qual foi os 5 minutos mais importante da sua vida”, "Acho que foi quando eu nasci.... o nascimento é importante, não é!?" Ações trasbordadas de matéria sutil e delicada. Ônibus lotado, corpos conhecidos e desconhecidos tocando-se, permitindo-se fricções, fundindo-se em uma massa heterogênea singular. Ser o “Grande sopro que circula” e tocar cada uma daquelas pessoas, era o objetivo da Ação.

 

 

Travessia,2011

Intervenção Urbana

 

Ação realizada pelo Coletivo Ambulante: Cris Abreu, Cibele Mateus, Mariana Vilela, Sol Bento.

2 horas de duração

Linha 11- Orquídea, São Bernardo do Campo.

Fotos: Ívan Taraskevícius