Travessia

Intervenção Urbana, 2011

VIAJAR             COMPOR              DANÇAR              ENCOSTAR

 

Travessia foi uma Ação realizada partindo do poema Viagem de Orides Fontela. Quatro mulheres com vestidos floridos subiram no ônibus, Linha 11- Orquídea, cada uma em um ponto. Quatro corpos abertos para qualquer outro corpo que quisesse pulsar aquele instante de poesia. Escritas pelo corpo e pela janela, “Viajar mas sem onde, Viajar mas não para, Viajar mas nem sequer sonhar-se esta viagem”. Uma interlocução sutil foi estabelecida com as pessoas que compartilhavam da mesma viagem, travessia. Mão sobre mão, cabeça sobre ombro, troca de olhares, pequenos diálogos “Qual foi os 5 minutos mais importante da sua vida”, "Acho que foi quando eu nasci.... o nascimento é importante, não é!?" Ações trasbordadas de matéria sutil e delicada. Ônibus lotado, corpos conhecidos e desconhecidos tocando-se, permitindo-se fricções, fundindo-se em uma massa heterogênea singular. Ser o “Grande sopro que circula” e tocar cada uma daquelas pessoas, era o objetivo da Ação.

 

 

Travessia,2011

Intervenção Urbana

 

Ação realizada pelo Coletivo Ambulante: Cris Abreu, Cibele Mateus, Mariana Vilela, Sol Bento.

2 horas de duração

Linha 11- Orquídea, São Bernardo do Campo.

Fotos: Ívan Taraskevícius