Corpo manifesto

 

Intervenção urbana, 2012

 

 

 

ANDAR                        ESCREVER                            MANIFESTAR

 

A Intervenção Urbana Corpo Manifesto, foi o resultado de num rompante, o vômito sintomático de um acesso de raiva, por isso um MANIFESTO. Um manifesto contra a falta de afeto, afeto não só como carinho, mas como o desejo do ser humano em querer estabelecer relação consigo, com o outro e com as coisas. A performer põe-se a caminhar pelo centro da cidade de Ribeirão Pires puxando uma janela (objeto-símbolo para possibilidade) e escrevendo incessantemente ora em seu corpo, ora no corpo da cidade “Qual a possibilidade para uma cidade de afetos?”, “Qual a possibilidade para uma rua de afetos?”, “Qual a possibilidade para uma escola de afetos?”, “Qual a possibilidade para uma polícia de afetos?”, “Qual a possibilidade para um corpo de afetos?”. As inscrições com pemba no corpo sujo da cidade e com Kajal no meu corpo foram efêmeros rastros que ficaram na memória de quem viu. Um manifesto mudo e solitário.

 

 

Corpo Manifesto

2012

Intervenção Urbana

 

Janela, pemba e lápis de olho.

3 horas de duração

Região Central da cidade, Ribeirão Pires.

Fotos: Rocco Ribeiro